Seguro Dentário Low Cost



Todos nós sabemos que a Saúde oral é bastante importante, contudo, ainda existe a ideia de que para assegurar uma boa a Saúde oral é necessário entrar em grandes despesas. Na realidade, a oferta na área dos seguros de saúde tem vindo a evoluir ao longo dos tempos e hoje já é possível encontrar um seguro dentário “low cost”, ou seja, a preços bastante razoáveis e à altura de qualquer carteira.

A oferta de seguros dentários actual é bastante variada. Se procura um seguro dentário barato, deve fazer várias simulações nos sites das diferentes seguradoras, consultar as condições e benefícios associados a cada oferta de seguro dentário e fazer a comparação entre os vários seguros para encontrar uma solução que melhor responda às suas necessidades.

Deve também verificar se a sua área de residência está abrangida pela cobertura a rede de prestadores do seguro que pretende e fazer um planeamento prévio do tipo de tratamentos de saúde oral que pretende efectuar.

Calcule o valor dos tratamentos que pretende de acordo com o preçário praticado nas várias redes de prestadores que servem a sua área de residência e depois faça a comparação dos prémios dos diferentes seguros para escolher a apólice mais barata.

Como Escolher um Seguro de Saúde



Antes de contratualizar uma apólice de seguro de saúde, deve aferir, de forma cuidada e precisa, as suas necessidades. Após esta avaliação, deverá garantir o acesso a informação actualizada sobre os produtos que lhe despertem interesse.

No domínio dos seguros de saúde, o preço não deverá ser indicador de qualidade nem deverá ser a principal motivação para escolher entre um seguro e outro. Mais barato significa menos, ou seja, os seguros de saúde mais baratos são os que têm coberturas potencialmente importantes excluídas da apólice. Deverá analisar as suas necessidades individuais e optar por uma apólice que não imponha limitações. Todos os prémios são pagos, regra geral, com uma periodicidade mensal e quanto mais baixa for a mensalidade, menos ampla será a cobertura no caso dos seguros de saúde com assistência (ou mistos); mais baixa será também a comparticipação nos casos dos seguros de saúde com a modalidade de reembolso (ou mistos).

Para os indivíduos que não sejam utilizadores frequentes dos serviços segurados, a opção da mensalidade mais baixa será a mais indicada. Uma baixa mensalidade irá apenas assegurar a cobertura básica, ou seja, os actos clínico-hospitalares obrigatoriamente contemplados pela apólice. A partir do momento que o tomador do seguro decidir contratualizar coberturas opcionais (como é muitas vezes o caso das consultas de medicina dentária, obstetrícia e pequenas cirurgias), o valor do prémio irá aumentar. O mesmo aumento acontecerá com qualquer incremento no capital seguro.

Se o caso a enquadrar for o de um utilizador frequente da apólice de seguro, a melhor opção será uma mensalidade mais elevada, que contemple uma cobertura mais ampla e comparticipações mais elevadas dos actos clínicos por parte da entidade seguradora, bem como um capital segurado mais elevado.

No mercado existem ainda opções livres de mensalidade, sendo a mais conhecida o cartão de saúde que na sua maioria são seguros de saúde pré-pagos, renovados anualmente. Embora não sujeitos a limites de idade nem a períodos de carência, este tipo de seguros têm coberturas bastante limitadas (não cobrindo, por exemplo, internamento). A maior diferença é o pagamento: num seguro de saúde convencional, paga a mensalidade/anuidade do seguro e a franquia associada a cada acto usufruído pelo tomador. No segundo caso, há um custo anual do cartão (mais baixo do que a mensalidade do seguro) e um preço fixo que o tomador deverá pagar por cada acto médico (bastante mais elevado do que a franquia a pagar na primeira opção). Os cartões de saúde, livres de mensalidade, poderão ser ainda associadas aos seguros de saúde tradicionais para garantir ao segurado uma cobertura mais adequada às suas necessidades.

De um modo geral, os fornecedores de seguros de saúde disponibilizam informações actualizadas na Internet através dos seus sites. Nesses mesmos sites, a maioria das seguradoras disponibilizam até ferramentas que permitem comparar os diferentes planos e/ou coberturas. Se considerar que as informações são insuficientes, poderá utilizar as linhas de apoio ao consumidor disponibilizadas ou contactar um agente de seguros. As informações que deverá cotejar incluem: coberturas (obrigatórias e opcionais), exclusões, períodos de carência, rede convencionada (rede dos estabelecimentos clínico-hospitalares associados aos serviços prestados), comparticipações por parte do tomador do seguro e da seguradora e valor do prémio.

Coberturas dos Seguros de Saúde



De uma forma geral, nos seguros de saude a cobertura básica inclui o internamento em unidades hospitalares ou clínicas e assistência em ambulatório, referente às consultas médicas. Todos os outros actos serão abrangidos pelas coberturas opcionais.

As coberturas opcionais incluem, na maioria dos casos, a especialidade de estomatologia, de obstetrícia e cirurgias. Caso o tomador de seguro precise de coberturas não incluídas nos pacotes pré-definidos, deverá garantir que tem informações e conhecimentos sobre como estas coberturas alargadas poderão agravar o valor segurado.

Os seguros de saúde definem limites máximos para cada categoria. Estes limites variam de apólice para apólice e de seguro para seguro e serão aplicados a cada cobertura contratada. Os limites mais comuns estão ligados a limites máximos por consulta ou percentagem da despesa efectuada. Por exemplo, na opção de hospitalização, a companhia de seguros poderá fixar a quantia de 15 mil euros como limite. Isto significa que o seguro apenas cobrirá despesas de internamento hospitalar até este tecto; caso o acto clínico exceda este valor, as despesas serão da responsabilidade do segurado. O alargamento destes limites é também opcional, podendo o tomador aumentá-los em caso de necessidade.

Todos os seguros de saúde impõem, para os diferentes actos clínicos cobertos, um período de carência, que poderá ser definido como o número mínimo de contribuições para o usufruto dos serviços contratados. Regra geral, e considerando as coberturas básicas, abrange 90 dias, durante os quais o tomador do seguro não poderá accionar a sua apólice. Este período variará de acordo com a entidade seguradora e será estendido no caso das coberturas opcionais, podendo, em alguns casos e inclusive, ultrapassar os 12 meses (em actos médicos relacionados com o parto, por exemplo). Neste contexto, terá também e por lei 30 dias para invocar o direito à renúncia; se tal for o caso, a entidade seguradora irá cancelar a apólice e ressarcir o segurado.

Ainda que a maioria dos seguros de saúde preveja extensões e coberturas adicionais, é necessário ter também em conta as exclusões, que englobam, a título exemplificativo, os limites de idade. Na sua vasta maioria, os seguros de saúde impõem os 65 anos como idade limite de permanência do tomador do seguro. Existem no mercado alguns seguros que aceitam pessoas com mais de 65 anos, mas esta excepção representará sempre um agravamento no prémio do seguro. No domínio das exclusões, há ainda que ter em conta que a esmagadora maioria das apólices existentes não cobre actos clínicos no domínio da psiquiatria, fisioterapia, estética, obesidade, e hemodiálise, só para mencionar alguns. Na mesma linha de raciocínio, as apólices excluem ainda tratamentos de doenças pré-existentes, ou seja, que tenham sido diagnosticadas antes da contratualização da apólice.

A lei de mercado dita que quanto mais coberturas o cliente contratualizar no seu seguro de saúde, mais elevado será o prémio a pagar e para garantir que tem um produto que se adequa a si, é necessário definir prioridades. A ampla variedade de seguros de saúde existente faz com que exista uma apólice adequada para diferentes necessidades individuais. No entanto, antes de contratualizar uma apólice, é necessário ter em conta a abrangência (coberturas básicas e coberturas opcionais) do seguro, os limites (financeiros e de idade), os períodos de carência e as eventuais exclusões.